Segundamente #3: Fim de ano, Aniversário, Natal, Ano Novo, e qualquer outro dia. Ou: textão do mané que esquece as datas

Meu fim de ano é sempre uma droga.

Eu sou tão despreocupado com datas e o escambau que não só não faço questão de lembrar nem comemorar como acho esquisito quando outros os fazem. Vem meu aniversário (10/12) e entendo que (quase) todos me dão parabéns porque querem me ver bem (quase, porque alguns só fazem no automático mesmo, e não reclamo porque sou desses também). Mas, cara… é só um dia, saca?

A gente tem 365 dias num ano pra falar uns com os outros mas nem falamos, por que diabos somente em um deles tudo muda? E nem muda! Até parece que a gente é um aplicativo que a cada aniversário sai uma versão nova, com aprendizados novos, habilidades novas, sabores, cores, cheiros e toques novos, etc e tal. Nada… a vida é contínua, é uma linha, e a cada segundo que passa não somos mais os mesmos de um segundo atrás. Juramos que somos, mas não somos…

para-um-outro-dia-novas-chances

Continuar lendo “Segundamente #3: Fim de ano, Aniversário, Natal, Ano Novo, e qualquer outro dia. Ou: textão do mané que esquece as datas”

Segundamente #3: Fim de ano, Aniversário, Natal, Ano Novo, e qualquer outro dia. Ou: textão do mané que esquece as datas

Rapidinha #2: consideração inútil de fim de ano

Pensando um pouco aqui, e voltando no tempo.

É muito louco pensar que eu me formei na faculdade, mas que a formatura não serviu pra bosta nenhuma.

Explico.

Eu estudo Ciência da Computação (bacharelado). Se você, amigo leitor, se considera um nerd, ou faz Exatas no 3º ano de sua escola e pensa em colocar Computação, CORRE ou então AME COM TODAS AS FORÇAS. No meu caso, estou sentindo minhas forças indo embora mas ainda assim prossigo no curso e falta pouco pra eu terminar.

“Ué, mas cê não tinha dito que se formou?”

bcc ufrpe
BCC UFRPE. Conceito 5 no ENADE, caramba! Tem pra ninguém!

Continuar lendo “Rapidinha #2: consideração inútil de fim de ano”

Rapidinha #2: consideração inútil de fim de ano

Rapidinha #1: Levita

Eu juro que na próxima vez que eu ler alguém falando que um cantor/músico cristão é um levita eu vou mandar esse vídeo pra ele:

Aí eu preciso perguntar: o músico cristão faz isso?

Não?

Então não chame de levita, ok? 😛

Okay… Levita era quem nascia na tribo de Levitrocentos anos atrás, e não eram somente músicos: eram servos do tabernáculo/templo e palácio e etc e tal, faziam bastante coisa no antigo reino de Israel. Antigo Testamento aqui!

Ora, hoje todo mundo é servo! Todo cristão é servo! Jesus deixou esse exemplo pra todos serem como Ele, e ele que era O SENHOR lavou os pés dos discípulos dele. Então por que não chamam todos de levitas? Ah, claro… é porque o músico tem visibilidade. Tem status. Todo mundo o vê, todos o seguem, todos querem copiar ou ao menos tirar uma casquinha, andar com ele no recreio e pá. 8)

Eu sou músico em minha comunidade. Sei como essa visibilidade é uma merda. Mas graças a Deus meus irmãos todos sabem que sou como eles. Não sou um “levita”, como se eu fosse de uma raça separada e acima dos outros. Sou um servo de todos.

Então, não me chame de levita, ok? 😛

Tchau!

Rapidinha #1: Levita