Perdão.

“Então Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou: ‘Senhor, quantas vezes deverei perdoar a meu irmão quando ele pecar contra mim? Até sete vezes?’ Jesus respondeu: ‘Eu lhe digo: não até sete, mas até setenta vezes sete'”. (Mateus 18:21-22.)

Esta passagem vem logo após Jesus ter tratado daquele pecador incorrigível, “Se teu irmão tiver pecado…” etc e tal, onde nesse caso o pecador escuta a parte ofendida, ou algumas testemunhas, ou então toda a comunidade. Mas aí outra questão surge. Quantas vezes essa pessoa deve ser perdoada? Pedro, sempre dando uma de porta-voz, responde a si mesmo, com o que imagina ser uma resposta generosa: “Até sete vezes?” Porém, Jesus o corrige e surpreende quando responde: setenta vezes sete.
Continuar lendo “Perdão.”

Perdão.

Blá blá blá e o verdadeiro sentido da páscoa (não necessariamente nesta ordem)

Pra você que ficou ontem de saco cheio com um monte de gente falando aqui e ali sobre o verdadeiro sentido da Páscoa, sobre Jesus, sobre Isaías 53, Romanos 6, Lucas 22, etc e tal: Relaxe o bigode. Não tem pq ficar de saco cheio. Jesus morreu justamente pra tirar esse teu saco cheio das tuas mãos, melhorar teu humor, te dar bons motivos (a.k.a. Ele mesmo) pra viver e sorrir, e colocou o teu saco cheio de estresse, tédio, tensão, agonia, dúvidas, mimimis, e principalmente pecado (que aliás gera todos os anteriores e muito mais) nas costas Dele, levando embora essa tralha toda e trazendo um jugo suave e um fardo leve pra mim e pra você, que somos peregrinos nesse planeta. Ele veio dar vida, tanta que você não faz ideia. Duvida? Dá uma chance. Na prática. Continuar lendo “Blá blá blá e o verdadeiro sentido da páscoa (não necessariamente nesta ordem)”

Blá blá blá e o verdadeiro sentido da páscoa (não necessariamente nesta ordem)